Posted in Portuguese

A Chegada

This is just a straight translation of the “Aliens – Spoiling it for Everyone” post from a few days ago. What’s the Portuguese equivalent of Déjà vu? Já visto?

Anteontem de noite, a Senhora 18ck sugeriu que vissemos um filme que se chama “Arrival” (A Chegada*) com Amy Adams no papel principal como uma linguista genial, apoiado pelo Jeremy Renner no papel do Jeremy Renner, e Forest Whittaker como um oficial militar com um sotaque exagerado (na minha opinião, Forest Whittaker e Jeff Goldblum hão de estar em todos os filmes feito em Hollywood).

Enfim, não sou crítico de filmes, pois porque é que menciono este filme? Ora bem, a Amy Adams começou a primeira cena numa sala de aulas, a falar sobre um assunto de Português e porque é que parece tão diferente das outras línguas românicas.

Vou precisar de mais pipocas

Estava muito curioso para saber mais, mas infelizmente, naquela altura, o filme ficou estragado para mim, pelo som duma sirene que anunciou a chegada de doze naves espaciais cheias de extraterrestres que queriam… Hum, não vou deixar cair spoilers aqui, mas chega para dizer qur não pretendiam ajudá-la com o discurso.

Depois, a Amy começou a ter prioridades novas, portanto nem sequer leu o próximo parágrafo. Pesquisei na Internet e encontrei uma discussão sobre o discurso numa página do Reddit. Acho que alguns contribuidores copiaram e colaram as suas respostas do Wikipedia, e há vários brasileiros que responderam que toda a gente na América do Sul têm quase o mesmo sotaque mas apesar disso, fiquei contente de ver que não sou a única pessoa que quis mais. Talvez um dia alguém lance uma ‘versão do director’ que incluirá o discurso inteiro. A esperança é a última morrer…

*=Isto é uma tradução literal. De acordo com o Wikipedia, o título em Portugal é “O Primeiro Encontro

Thanks Jorge, Sofia and Guilherme for corrections.

Advertisements
Posted in Portuguese

Video Day

Posted in Portuguese

A Canoa

Hoje de manhã, eu e a minha filha fomos até à cidade de Reading. O rio de lá não está sob influência da maré e por isso a água é menos assustadora (e mais limpa!) do que aqui em Londres. Há um centro desportivo que dá para o rio. Eu e a Oli alugámos uma canoa e demos um passeio ao longo do rio. Ela sentou-se na frente da canoa, à minha frente. Entrámos no barco com cuidado, porque não queriamos cair na áqua em frente do treinador porque teríamos ficado muito envergonhados. Adorámos a experiência. Foi divertida e relaxante. O sol até conseguiu de brilhar às vezes.

Thanks Luís, Sofia, Tiago and Douglas for corrections

Posted in English

Aliens: Spoiling It For Everyone

The night before last, Mrs L suggested we watch a film called Arrival, starring Amy Adams as a brilliant linguist supported by Jeremy Renner as Jeremy Renner and Forest Whittaker chewing the scenery in a very enjoyable way (him and Jeff Goldblum: as far as I’m concerned, they should be in everything)

Anyway, this isn’t a blog about movies, so why am I mentioning it? Well, Amy Adams starts her first scene in a lecture theatre with the opening lines of a lecture she’s about to deliver about Portuguese and why it sounds so different from other romance languages. I was all like…

But sadly at this point the movie was ruined for me when a siren sounded, heralding the arrival of twelve alien space ships who have come to… Well, I’d best not let slip any spoilers, but suffice to say they hadn’t come to help answer the question, and Amy Adams found her priorities had shifted somewhat so she didn’t even move on to the second paragraph.

I hunted around and found a reddit discussion about the lecture. I think there’s a lot of copy/pasting from Wikipedia going on here, coupled with some diversionary chatter from Brazilians who don’t see what all the fuss is about because everyone in South America sounds more-or-less the same, but it’s good to know I’m not the only one who wanted more. Maybe one day there’ll be a director’s cut with the whole lecture included. I live in hope.

Posted in Portuguese

A Noite

Estou aqui em Sheffield por causa do trabalho. Fico aqui durante duas noites. Estou num hotel bonito mas mesmo assim tenho saudades da família. Cheguei muito tarde e por isso experimentei um novo restaurante que fica aberto até às onze de noite. Depois, pass(e)ei** pela praça. A noite estava fresca mas não demasiado fria, com ar limpo após a chuva. O relógio em cima da câmara municipal tocou as dez horas de noite (or “as 22h00)*. A cena foi bonita.
E por hoje, termino.

*Apparently it can’t just strike ten, it has to strike ten at night or a proper 24-hour-clock time. This seems to be more of a thing in Portugal than Brazil, judging by the corrections.

**Passei por = I went through (passar), Passeei por = I took a walk though (passear). Some corrections suggested the latter but I think I want the former since I walked back from the restaurant to the hotel via the square)


Thanks to Larissa, Sofia, Leandro for the corrections

Posted in Portuguese

Mais Uma Tradução

Stoyo Petkanov, a personagem* principal do novo romance de Julian Barnes é uma criação satírica de génio. Três partes Todor Zhivkov, o líder outrora** da Bulgária, uma parte Alf Garnett(1), é um deposto líder comunista dum país soviético sem nome. Prisioneiro dos seus sucessores reformadores, vai ser julgado. O julgamento vai ser transmitido na TV. Para Peter Solinsky, o advogado chefe de acusação, isso é uma oportunidade para obter uma promoção no estado novo. Para os milhões de espectadores, é uma oportunidade para afastar o passado. Contudo para o Petkanov, o tribunal fornece-lhe um palco pelo qual pode apelar a história. “Não tencionou protagonizar o papel alocado para ele. Tinha um outro papel em mente”.

(1) para quem não sabe, este gajo é uma personagem duma comédia da televisão inglesa

notebook_image_825869

*=Male character but still a feminine word

**=apparently not an adjective that changes with the noun!

Posted in Portuguese

A Encontrar o Senhor Samuel Holberry

(mais um texto do ‘Instagram Language Challenge #IGLC’ Gosto de escrever no Instagram mas infelizmente não existem lá estudantes simpáticos que fazem correcções e por isso, fui ao italki) 
🙂 
Não encontrei ninguém hoje além da empregada que me trouxe um prato de peixe e a puré de batata*. Ela anda a aprender Russo. Por isso falámos de línguas e como aprendê-las (ela é fã de Rosetta Stone mas não gosto disso). Claro que não tirei uma fotografia dela porque não sou um psicopata, mas eis uma fotografia duma placa que comemora um herói local, Samuel Holberry que não encontrei mas tomei conhecimento da história dele pela primeira vez. O Holberry foi um activista no movimento que se chama Cartismo cá em Inglaterra. Os cartistas queriam aumentar os direitos do povo para participarem na democracia. De início a campanha estava pacífica mas depois de alguns anos, instigou uma insurgência contra o governo. Foi apanhado e feito prisioneiro até à data da sua morte.
Os seus métodos foram questionáveis mas hoje em dia, é bom que possamos** lembrar as pessoas que lutaram contra a tirania, e pela liberdade do povo inteiro.

notebook_image_826344

*=I originally wrote “batatas esmagadas” which is literally that, but it’s wrong. I think the people correcting the text thought I meant “batatas a murro” which is a kind of roast potato that has been squished, and it sounds pretty nice to me.

**=more natural with a personal infinitive, as “é bom podermos” but let’s leave it like this because I’m doing a lot of subjunctives this week


Thanks to Gustavo, Larissa, Sofia and Rubens for help with the corrections

Posted in English

Lady Marmalade

Further on in Como é Linda a Puta da Vida and I’ve come across another thing that made me smile: the Portuguese call foreplay Marmalade.

Or rather Mermelada. As you might know, we get the word from the Portuguese. There’s a folk-etymology about the word, involving Mary Queen of Scots but don’t believe the hype – it’s Portuguese, even though their marmalade is a gelatinous substance made from quince, and ours is a delicious orange-based sticky goo.

Anyway, Miguel Esteves Cardoso bemoans the fact that Marmalade (literal and figurative) is less used these days. The modern word is “preliminares” which is drab to the point of sounding like a bureaucratic procedure, so I can see his point. The double-entendre potential alone of Marmalade should make it an invaluable word. Keep it, you fools!