Posted in Portuguese

Tradução

notebook_image_823103I recently tried to translate the first paragraph of “The Porcupine” by Julian Barnes” into Portugese. It was a real struggle because of the high literary style. Anyway, the result was quite interesting because it shows that there’s more to transation than just constructing grammatically correct versions of each sentence in turn. The corrections I got back were all right, in the sense that they were free of errors, but the result was stilted and not really reflective of the original. For reference, Larissa wrote her own translation, in Brazilian Portuguese, to show how a real native speaker would express it.

So here’s the fixed  version of the original

O velhote estava de pé tão perto da janela do sexto andar como permitiu o soldado. Lá fora, a cidade estava estranhamente escura; cá dentro, o poder fraco do candeeiro de secretária deslizou ligeiramente da orla metal dos seus óculos. Era menos elegante do que tinha suposto o militar: o terno dele estava amassado por baixo e o resto dos seus cabelos loiros surgiam de forma duns penachos*. Mas a sua postura mostrou confiança e mesmo havia uma certa pugnacidade na maneira em que o seu pé foi colocado na linha pintada. Com cabeça inclinada, o homem ouviu enquanto a manifestação das mulheres serpenteou pelo centro estreito da capital que tinha liderado durante tanto tempo. Sorriu para si mesmo.

And here’s Larissa’s

O velho permaneceu o mais próximo da janela do sexto andar quanto lhe permitiria o soldado. Lá fora, a cidade estava anormalmente escura; dentro, a luz de baixa voltagem da luminária de mesa refletia fracamente nos aros metálicos de seus pesados óculos. Ele era menos elegante do que esperava o militar: o terno estava amarrotado nas costas e o que ainda restava do seu cabelo cor de areia movia-se em tufos. Apesar disso, sua postura era confiante; havia até mesmo certa agressividade no modo que seu pé esquerdo permanecia firmemente plantado na linha pintada. Com a cabeça ligeiramente inclinada o velho ouviu o protesto das mulheres que seguia pelo apertado centro da capital que ele havia comandado por tanto tempo. Ele sorriu para si mesmo.

And finally, here’s a line-by-line comparison of the two with Larissa’s in red and mine in blue. I’ve italicised the words that I think (I might be wrong) are not generally used in European Portuguese “por padrão”, but the rest should be basically just a more natural, fluid way of describing the scene in the novel.

O velho** permaneceu o mais próximo da janela do sexto andar quanto lhe permitiria o soldado.

O velhote estava de pé tão perto da janela do sexto andar como permitiu o soldado.

Lá fora, a cidade estava anormalmente escura; dentro, a luz de baixa voltagem da luminária de mesa refletia fracamente nos aros metálicos de seus pesados óculos.

Lá fora, a cidade estava estranhamente escura; cá dentro, o poder fraco do candeeiro de secretária deslizou ligeiramente da orla metal dos seus óculos.

Ele era menos elegante do que esperava o militar: o terno estava amarrotado nas costas e o que ainda restava do seu cabelo cor de areia movia-se em tufos.

Era menos elegante do que tinha suposto o militar: o terno dele estava amassado por baixo e o resto dos seus cabelos loiros surgiam de forma duns penachos.

Apesar disso, sua postura era confiante; havia até mesmo certa agressividade no modo que seu pé esquerdo permanecia firmemente plantado na linha pintada.

Mas a sua postura mostrou confiança e mesmo havia uma certa pugnacidade na maneira em que o seu pé foi colocado na linha pintada.

Com a cabeça ligeiramente inclinada o velho ouviu o protesto das mulheres que seguia pelo apertado centro da capital que ele havia comandado por tanto tempo.

Com cabeça inclinada, o homem ouviu enquanto a manifestação das mulheres serpenteou pelo centro estreito da capital que tinha liderado durante tanto tempo.

Ele sorriu para si mesmo.

Sorriu para si mesmo.

 

*=Penachos might be OK for “tufts” but it seems a bit touch-and-go.

**=Velhote seems to be specific to Portugal. On the other hand, the Brazilian “O Velho” is slightly dismissive in Portugal. Alternative phrases are “pessoa de idade” or “idoso”

 


Thanks Sofia, Larissa, Andre, Vitor and Natan for help with the corrections

 

Advertisements

Author:

Just a data nerd

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s