Posted in Portuguese

Uma Tarde No Hospital

Ontem de tarde tivemos um grande choque que felizmente não durou muito tempo. A minha filha anda com gripe desde quarta-feira. Hoje na hora do almoço, começou a sentir uma grande dor de barriga e o corpo abanou violentamente. Coloquei a mão na testa dela e foi claro que tinha uma temperatura elevada. Telefonei ao médico e marcámos um compromisso para uma hora depois. O médico pareceu preocupado. Avaliou a sua saúde – temperatura, dores, pulso – e anunciou “é provável que esta moça tenha apendicite. Deve ir para hospital sem adiar!” Fomos para casa para buscar a mãe e também vários pertences necessários (telemóvel, carregador de telemóvel, auscultadores para telemóvel… E talvez uma escova de dentes também) e fomos embora para o “A&E” (o departamento de urgências do hospital). Lá fizeram mais testes. A essa altura, a Olivia tinha vomitado e depois melhorou muito. O médico de urgência disse que ela não tem apendicite e que pode voltar para casa. Todos nós ficamos muito aliviado. Passámos 2 horas a ser aborrecidos até a morte* mas o resultado foi óptimo. Não havia necessidade para cirurgia e a nossa linda macaquinha é perfeitamente saudável (apesar da gripe mas que importa o gripe?)

*=Literally “Bored to death” but it’s not a Portuguese expression. You can say “morto de fome” or “morto de medo” so maybe “morto de aborrecimento” would fit, suggests Heron (a Brazilian). But beware the literal translation.

Thanks Heron & Larissa for help with corrections

Advertisements

Author:

Just a data nerd

One thought on “Uma Tarde No Hospital

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s